Novo estudo prevê um futuro brilhante para os elétricos no Brasil

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

O olhar otimista estrangeiro sobre mercado de VEs nacional

O Brasil está prestes a se tornar o próximo polo dos VEs, de acordo com um novo estudo da Frost & Sullivan. A análise estratégica da empresa do mercado de veículos elétricos no Brasil estima que 35 modelos “plug-in” serão lançados no Brasil, e vender algumas 80.877 unidades até 2020. “Plug-in híbridos” serão responsáveis ​​por mais de 70% do mercado.

“Embora a política automotiva do Brasil para os VEs está em um estágio inicial, a segunda fase de seu programa Inovar-Auto vai oferecer incentivos para os fabricantes de VEs e usuários finais, incentivando assim a adoção”, disse o analista de pesquisa Ananth Srinivasan. “A expansão da infraestrutura de recarga elétrica, atualmente focada em São Paulo e Rio de Janeiro, para outras regiões-chave como Pernambuco, Sergipe e Ceará vai impulsionar ainda mais a adoção.”


O Brasil é um dos maiores produtores de cana do mundo, e um dos maiores mercados para os veículos movidos a etanol. Até agora, os motoristas brasileiros têm demonstrado pouco interesse em híbridos. No entanto, a Frost & Sullivan acredita que a legislação de apoio, incentivos fiscais e melhorias na infraestrutura de recarga terá o mercado dos elétricos saltando até 2017. Estima-se que os preços dos “plug-in híbridos” cairão de 25% para 37%, e os preços dos VEs de 25% a 40%, ao longo dos próximos sete anos.

“Lançamentos de produtos nos segmentos de sedãs de pequeno e médio porte, mantendo uma faixa de preços de R$ 40.000 a R$ 65.000 e oferecendo diversos modelos de negócios, são fatores-chave de sucesso no mercado de VEs brasileira”, observou Srinivasan. “Os participantes do mercado também vão se beneficiar de uma estratégia de entrada mais cedo.”

Fonte: Charged EVs