Enquanto isso, lá fora… 1º semestre/2013

Tempo de leitura: 3 minutos

As melhores notícias sobre veículos elétricos do 1º semestre de 2013… fora do Brasil!
 
A direção foi ajustada para atender o consumidor europeu. Os amortecedores foram reconfigurados para garantir respostas mais dinâmicas e os freios oferecem agora melhor resposta e passaram a recuperar mais energia. No interior, o Leaf ganhou novos bancos e tecidos ecológicos de revestimento. Há mais equipamentos tecnológicos, como o Around View Monitor, sistema que utiliza imagens de câmeras instaladas na parte externa para oferecer ao motorista uma visão total do entorno do carro. O porta-malas ganhou 40 litros a mais de capacidade.
O XL1 tem motor de 800 cc e dois cilindros com turbocompressor, capaz de alcançar 48 cavalos de potência. O propulsor trabalha em conjunto com um elétrico abastecido por bateria de íon-lítio de 5.5 kWh e que gera 27 cavalos. Juntos, fazem o conversível acelerar de 0 a 100 km/h em 12,7 segundos, atingindo velocidade máxima de 160 km/h, limitada eletronicamente.
Como funciona o carro híbrido do Google que dirige sozinho
Ele possui três antenas de radar na frente, como o usado em aviões, e outra na traseira, que funcionam de modo a criar um mapa tridimensional ao redor do carro. Junto aos radares, o computador apura as informações no entorno do automóvel com ajuda de GPS (com trechos já mapeados pelo Google Maps), câmeras de vídeo com sensores infra-vermelho, acelerômetros e um curioso scanner giratório instalado no teto do veículo, que são como os olhos do carro e permitem a ele “enxergar” objetos a uma distância de até 60 metros, seja a frente, na traseira ou para os lados.

Após 73 anos, a Detroit Electric marca seu retorno à indústria automobilística com a apresentação do novo esportivo elétrico SP:01, de dois lugares, que terá edição limitada a 999 unidades. Com capacidade de armazenamento de energia de 37 kWh, a bateria desenvolve quase 190 milhas (equivalente a 305,7 quilômetros) entre recargas.  O preço do SP:01 parte de US$ 135 mil.
Somando os volumes do mundo todo, o modelo já teve mais de 62 mil emplacamentos desde o seu lançamento em 2010.
Para criar um serviço eficiente de troca de baterias, a empresa teria de firmar acordo com diversas montadoras para que houvesse padronização no formato e forma de remoção do componente dos carros. Com o mercado de automóveis elétricos ainda dando os primeiros passos e as fabricantes fazendo esforços de desenvolvimento para chegar aos modelos mais eficientes, não houve o interesse esperado em firmar acordo com a companhia.
Renault Twizy ganha versão “furgão” na França
 
Com espaço traseiro reservado para encomendas e outros volumes, o Renault Twizy Cargo tem 180 litros disponíveis sem o banco traseiro, podendo levar até 75 kg.
Enquanto não inventam baterias capazes de fazê-los voar, os Airbus A320 receberão motores elétricos em seus trens de pouso. Com os motores elétricos, as empresas Honeywell e Safran acreditam poder economizar entre 3% e 4% do combustível gasto hoje pelos grandes aviões – algo em torno de US$200.000 por ano para um A320.